INTERNAÇÕES 24H 11 4788-190211 4788-191511 4788-1900 INTERNAÇÕES 24H - Whatsapp 11 97605-6065 | 11 97334-9861 11 98601-3664 | 11 98601-4247 11 98791-2243 | 11 98601-3410 AGENDAMENTO DE CONSULTAS AGENDAMENTO DE CONSULTAS - 10h às 16h
11 5081-8811
11 98601-3951
SIGA-NOS
Formulário de Contato

Blog

Body shaming: a pressão estética promovida pelas redes sociais

Body shaming é um termo novo que, em português, significa "vergonha do corpo" causada, principalmente, pelo outro, por meio de comentários ofensivos, geralmente disseminados pelas redes sociais. Algumas personalidades já sofreram com o problema, tais como a atriz Cleo Pires, que chegou a enfrentar uma onda de críticas nas redes após ganhar peso, e até a artista internacional Demi Lovato, com histórico de distúrbios alimentares e crises depressivas. Bastou a cantora publicar uma foto de biquíni para surgir uma enxurrada de ofensas.

O body shaming pode ser um gatilho perigoso para transtornos como bulimia e anorexia, devido à disfunção na autopercepção da imagem causada pelos ataques digitais. Os comentários maldosos provocam/estimulam a visão errônea que a pessoa tem do seu próprio corpo. Ela pode se sentir também, com isso, mais deprimida, o que causa até isolamento social.

O que é exposto nas redes, muitas vezes, são fotos IRREAIS trabalhadas para corrigir as imperfeições e ressaltar o físico “ideal”. Para não se perder nas paranoias e padrões que as mídias instigam e que as críticas insultuosas acarretam, é fundamental ter em mente que, em grande parte, o que é publicado é produzido, montado, sendo incompatível com a realidade. É essencial aprender a se aceitar e se cuidar dentro de suas possibilidades, sem que haja desgaste emocional, idealização e comparação. O mais importante é priorizar, sobretudo, a saúde mental.

A terapia é uma grande aliada neste processo. Ela ajuda o paciente a encontrar o melhor caminho para "apropriar-se de si’", perceber-se, autoconhecer-se, enxergar-se verdadeiramente.


Fale com a nossa equipe, busque auxílio. Conte com a gente!



 
« Voltar