INTERNAÇÕES 24H 11 4788-190211 4788-191511 4788-1900 INTERNAÇÕES 24H - Whatsapp 11 97605-6065 | 11 97334-9861 11 98601-3664 | 11 98601-4247 11 98791-2243 | 11 98601-3410 AGENDAMENTO DE CONSULTAS AGENDAMENTO DE CONSULTAS - 10h às 16h
11 5081-8811
11 98601-3951
SIGA-NOS
Formulário de Contato

Blog

Como identificar o TOC?

18 de junho de 2021


Pensamentos e medos irracionais (obsessões), que levam a comportamentos ou rituais compulsivos (compulsões), esse é o Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC, de acordo, inclusive, com a própria Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).
Conferir repetidamente, por várias e várias vezes, se trancou a porta de casa, lavar as mãos exageradamente, fixação por simetria e repetir palavras em silêncio são alguns dos sinais de TOC, as compulsões; respostas rotineiras a uma determinada obsessão.

Por exemplo, por conta de pensamentos de que irá se contaminar, a pessoa entra em um ritual de limpeza excessiva. Isso acontece para reduzir o sofrimento desencadeado pelas obsessões ou pra evitar determinado medo irracional, como pegar uma doença.
Essas ideias/crenças obsessivas, invasoras e incontroláveis, assim como as compulsões, geralmente tomam um bom tempo do dia, podendo ser constantes e incapacitantes, o que afeta significativamente a qualidade de vida.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, é comum que quem possui TOC evite pessoas, lugares e coisas que possam desencadear obsessões e compulsões. Fugir de situações públicas e ambientes, como restaurantes, é um claro exemplo disso, para reduzir a sua exposição, por ele (a) acreditar que pode se contaminar com alguma coisa.
Justamente por isso, no momento atual que estamos vivend , o problema pode sofrer uma piora considerável, como já aconteceu em pandemias anteriores pelo mundo, como na SARS, MERS e Influenza, em que houve um agravamento dos casos de TOC, especialmente no período de seis a 12 meses após o fim das pandemias, segundo o portal médico, PEBMED.

Portanto, a busca por ajuda profissional e o acompanhamento especializado, mais do que nunca, são fundamentais.
Apesar de o TOC ser alvo de muitas brincadeiras, na verdade, ele é um problema bem sério, que pode ter início ainda na infância, e requer atenção e tratamento!
« Voltar