INTERNAÇÕES 24H 11 4788-190211 4788-191511 4788-1900 INTERNAÇÕES 24H - Whatsapp 11 97605-6065 | 11 97334-9861 11 98601-3664 | 11 98601-4247 11 98791-2243 | 11 98601-3410 AGENDAMENTO DE CONSULTAS AGENDAMENTO DE CONSULTAS - 10h às 16h
11 5081-8811
11 98601-3951
SIGA-NOS
Formulário de Contato

Blog

Sinais ligados ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático!

06 de maio de 2021


Este cenário de pandemia tem contribuído para a piora ou mesmo o surgimento de determinadas condições, incluindo o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), que tem aparecido em pacientes que tiveram Covid-19.

Um estudo realizado por especialistas italianos, do Hospital San Raffaele (situado em Milão), que acompanhou 402 pacientes infectados com o vírus, revelou que 55% deles desenvolveram pelo menos um transtorno psiquiátrico. Dentre as condições apontadas na pesquisa está justamente o TEPT, presente em 28% dos casos.

De acordo com o The Guardian, jornal britânico, os pesquisadores indicaram que esses efeitos psiquiátricos podem estar associados “à resposta imune ao próprio vírus ou aos estressores psicológicos, como isolamento social, impacto psicológico de uma nova doença grave e potencialmente fatal, preocupações com a infecção de outras pessoas e estigma”.

No caso do transtorno de estresse pós-traumático, há alguns sinais de alerta com os quais é preciso estar atento.

(Você ou alguém que você conhece:)
- Tem tido pesadelos e lembranças do episódio traumático, nesse caso a covid, por exemplo, e elas são involuntárias e frequentes, aparecem como flashbacks?
- Há uma forte recusa em falar sobre o trauma?
- Atividades que antes eram prazerosas não são mais?
- Tem consumido bebidas alcoólicas ou drogas para fugir das memórias/pensamentos persistentes?
- Tem sofrido com episódios de pânico (coração acelerado, medo intenso de morrer), alterações no sono, dificuldade de concentração, estado constante de alerta, irritabilidade?
- Sentimentos de impotência, incapacidade, insegurança, desesperança em relação ao futuro, sensação de vazio são recorrentes?

Se a maioria das respostas for sim, se houver identificação com esses sinais, é fundamental procurar ajuda profissional o quanto antes.

Lembrando que, embora o risco seja maior em quem vivenciou na pele a covid, aquelas pessoas que assistiram de perto familiares e amigos com o coronavírus (principalmente, se houve óbito) também podem apresentar o transtorno.

E não é só a doença: se você vivenciou, de modo geral, um episódio ruim que te afetou bastante emocionalmente, fale com um especialista, se preciso.

Conte com a gente!
 
« Voltar