INTERNAÇÕES 24H 11 4788-190211 4788-191511 4788-1900 INTERNAÇÕES 24H - Whatsapp 11 97605-6065 | 11 97334-9861 11 98601-3664 | 11 98601-4247 11 98791-2243 | 11 98601-3410 AGENDAMENTO DE CONSULTAS AGENDAMENTO DE CONSULTAS - 10h às 16h
11 5081-8811
11 98601-3951
SIGA-NOS
Formulário de Contato

Blog

Tristeza e depressão: entenda a diferença!

09 de fevereiro de 2021 


Talvez você já tenha se perguntado: “afinal de contas, qual é a diferença entre depressão e tristeza?”. É sobre isso que conversaremos hoje!

De cara, a principal diferença é a DURAÇÃO: a tristeza pode durar algumas horas ou mesmo alguns dias, já a depressão gera uma tristeza persistente, que surge em conjunto com outros sintomas e por muito mais tempo, meses ou anos até o tratamento adequado.   

Além de se sentir triste, a pessoa com quadro depressivo perde o interesse em atividades que antes eram prazerosas pra ela, e pode, ainda, não conseguir realizar os afazeres cotidianos.
Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), quando sinais como esses não vão embora e já duram mais de duas semanas, há suspeita de depressão.

Uma outra distinção que podemos mencionar é a INTENSIDADE: a tristeza normalmente não impede a pessoa de realizar tarefas diárias, porque ela não é tão intensa, e é transitória, já na depressão isso muda. Nesse caso, ela é profunda e acentuada, afeta consideravelmente a produtividade, e vem acompanhada por instabilidade emocional, desesperança e irritabilidade que não dão trégua.

O IMPACTO SOCIAL também é diferente! Na tristeza, a pessoa até pode se isolar um pouco, mas assim que o episódio passa tudo volta ao normal. Na depressão não, o indivíduo vai cada vez mais se isolando, ficando quieto e distante na relação e convívio com os familiares e amigos.

Além disso, o quadro depressivo pode causar perda de energia, mudanças no apetite e no sono, ansiedade, desespero, dificuldade para se concentrar, sensação de culpa e/ou de inutilidade, desânimo e pensamentos ligados a danos a si mesmo (o que é muito perigoso).

Portanto, é fundamental procurar ajuda profissional! Depois de um diagnóstico minucioso, o tratamento correto faz toda a diferença na qualidade de vida do paciente e pode envolver tanto o acompanhamento do psiquiatra quanto o do psicólogo.

Você não está sozinho. Conte com a gente!
 
« Voltar